Luta contra a Obesidade

Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes -Olhão #Área de Projecto - 2009/2010



No dia 6 de Maio, o nosso projecto realizou o visionamento do filme "Super Size me".







Este filme, retrata um jovem que decide comer comida, exclusivamente, do Mc'Donalds durante 30 dias, desmonstrando, deste modo, as consequências do consumo excessivo de Fast Food.








Esta actividade teve a participação de 4 turmas (aproximadamente 100 pessoas).




No dia 28 de Abril, o grupo organizou uma palestra orientada pela nutricionista Drª Ana Candeias, do Centro de Saúde de Olhão, com vista a serem tratadas questões sobre a temática "Luta contra a Obesidade".


A palestra decorreu no auditório da escola, pelas 11h55, com duração aproximada de 90 minutos.





A palestra foi divida em duas partes, sendo a primeira orientada pelo grupo, divulgando as actividades elaboradas até à data.



A segunda parte da palestra, para além de orientada pelo grupo teve também a participação da Drª Ana Candeias. Nesta parte, foram divulgados os resultados do inquérito feito à comunidade escolar sendo estes comentados pela nutricionista.








A palestra foi assistida por 5 turmas ( 3 pertencentes ao 10º ano, 1 pertencente ao 11º ano e alguns alunos da nossa turma (12ºano) ) e os respectivos professores, sendo no total cerca de 100 pessoas.




O grupo agradece a:


Drª. Ana Candeias

Milene (estagiária de nutricionismo)

Susana Almeida


Após um período de pausa, a Rúbrica "Mito ou Verdade?" regressou...





A rúbrica desta semana, visa desvendar dois mitos cujo a temática central é a bebida.

1- O vinho tinto é melhor que o branco.
Falso! Bebidos com moderação (um copo ao almoço e outro ao jantar) são igualmente benéficos e ambos reduzem o risco cardiovascular. Segundo um estudo da Universidade de Barcelona realizado em 2007, aumentam o colesterol bom e reduzem o risco de ataque cardíaco. Por outro lado, existem estudos científicos que evidenciam que tanto o tinto como o branco são bebidas alcoólicas que, ingeridas de forma controlada, não influenciam o ganho de peso.
É o caso de uma investigação da Universidade de Colorado (EUA), de acordo com a qual reduzir o consumo de álcool para não engordar não tem fundamento científico. O responsável pelo estudo explicou que «está assumido que o consumo de álcool aumenta o risco de ganhar peso, pois tem uma densidade energética alta, semelhante à das gorduras. Mas, segundo o nosso estudo e outros similares, bebido com moderação não implica um aumento de peso corporal».

2- Beber batidos e sumos de fruta emagrece.
Falso! Os sumos de fruta e batidos são, muitas vezes apenas água e o açúcar da fruta, desperdiçando a maior parte do que realmente nos faz falta: fibra, vitaminas e minerais. Já para não falar do facto de o açúcar da fruta - frutose - ser de absorção rápida, o que sacia a fome apenas durante um curto espaço de tempo, levando à necessidade de voltar a comer passado pouco tempo.
«Prefira alimentos que apresentem algum volume» recomenda Magda Roma. «O volume vai levar, não só, ao preenchimento gástrico, como, muitas vezes, estes alimentos têm uma digestão mais lenta, promovendo também a saciedade metabólica», explica a nutricionista. Falamos, por exemplo de alimentos ricos em fibra, como os legumes e frutos.


Adaptado de Revista Prevenir
de Junho de 2008


Devido ao seu aumento, a Obesidade é considerada por muitos a Epidemia do século XXI!




Um dos principais problemas é que, apesar de a sociedade ter conhecimento que se deve adoptar uma alimentação saudável, não sabe qual o verdadeiro significado de um regime alimentar saudável, considerando, na maioria dos casos que "saudável" consiste na ausência de gosdura.
Como já mencionado na "Rubrica Mito ou Verdade?" a ausência de gorduras não leva ao excesso de peso, uma vez que existem gorduras benéficas ao nosso organismo.




No entanto, várias são as informações, que nos surgem diariamente, acerca de como estabelecer uma alimentação saudável mas que, infelizmente, passam ao lado da maioria das pessoas.

É seu exemplo uns panfletos que a cadeia de supermercados Modelo elaborou.





O tema destes panfletos insere-se, principalmente, na importância de comer frutas e legumes todos os dias.


Neles podemos encontrar, entre outras coisas, a seguinte informação:


* Ingerir cinco porções de fruta ou legumes diariamente, sejam eles frescos ou congelados, ajudará o seu organismo a proteger-se contra as doenças cardiovasculares e o cancro, para além de renovar as suas energias e poder contribuir para o combate à Obesidade.

5 porções, 5 cores?

Nenhuma fruta ou legume tem isoladamente todos os nutrientes que o seu organismo precisa, pelo que é imperativo variar. Uma boa estratégia para variar consiste em escolher frutas e legumes de cores diferentes, pois a cada cor corresponde um perfil nutricional diferente.

» (Vermelho) - Cereja, Morangos, Pimentos vermelhos, Goiaba, Figo, Feijão vermelho, Rabanetes - Estes hostofrutícolas são ricos em fitoquímicos, como por exemplo o licopeno. Esta substância pode contribuir para a prevenção do cancro da próstata. Também contêm antocianinas cuja acção antioxidande pode contribuir para manter o coração saudável.

» (Laranja) - Cenouras, Tangerinas, Mangas, Milho, Abacate, Abacaxi, Batata doce - São ricos em carotenóides, como o beta-caroteno, que é um pigmento fundamental para a saúde dos olhos. O consumo de alimentos ricos em carotenóides poderá diminuir o risco de ocorrência de vários cancros e de doença cardiovascular, bem como poderá contribuir para reforçar as defesas naturais do organismo. Os frutos cítricos são uma excelente fonte de Vitamina C e ácido fólico.



» (Roxo) - Uvas pretas, Amoras, Beringelas, Ameixas secas, Mirtilo, Couve roxa - A sua cor natural relaciona-se com um tipo de pigmentos denominados antocianinas. Os mirtilos, uvas e passas, são exemplos de frutos que os contêm e cuja acção antioxidante é potencialmente protectora das doenças cardiovasculares e do cancro. Estudos recentes também têm evidenciado um efeito protector destes alimentos ao nível do funcionamento da memória.

» (Verde) - Brócolos, Kiwis, Maçãs verdes, Couve portuguesa, Alface, Louro, Salsa, Feijão verde - A sua cor provém de um pigmento específico, a clorofila. Estes hortofrutícolas são ricos em diversos fitoquímicos, como por exemplo a luteína que está associada à saúde dos nossos olhos. Também contêm indóis e outras substâncias nutritivas que em conjunto poderão proteger-nos de diversos tipos de cancro. Os brócolos e os espinafres são exemplos de excelentes fontes de ácido fólico. Esta vitamina é essencial na prevenção de defeitos congénitos (problemas físicos ou mentais presentes aquando do nascimento) e para manter o coração saudável.



» (Branco) - Banana, Alho, Peras, Nabos, Cogumelos, Couve-flor, Cebola, Gengibre - Para além de conterem antocianinas, alguns destes vegetais contêm um outro fitoquímico, a alicina, que poderá contribuir para o controlo do colesterol, da tensão arterial e para a prevenção do cancro do estômago. Certos alimentos deste grupo de hortofrutícolas, como por exemplo as bananas, também são uma excelente fonte de potássio.


1- O stress faz engordar
Falso! Na realidade, se comer em resposta aos sinais de fome do seu organismo, em épocas de maior stress comerá menos, porque terá a sensação de que o seu estômago está mais pequeno. Porém, está demonstrado que se já retringe a sua alimentação de forma habitual, tenderá a comer mais em resposta ao stress. Um especialista da Universidade John Moores de Liverpool explica que «as pessoas que estão em dieta regularmente dedicam tanta energia a controlar a sua alimentação que lhes restam poucos recursos para enfrentar o stress.
Por isso, quando o sofrem, perdem o controlo e comem mais».
Um conselho: não se deixe levar pelo primeiro impulso e, perante um estímulo stressante, páre e pense naquilo que o desencadeia e qual a solução de que carece.
Adaptado de revista Prevenir,
de Junho de 2008

Um dia tem 1440 minutos...

Ocupa 30 desses minutos com actividade física!

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática de exercícios físicos por pelo menos 150 minutos por semana, ou seja, no mínimo 30 minutos ao dia.

As pessoas que praticam menos de 150 minutos de algum exercicio físico durante toda a semana são chamadas de sedentárias. As que somam 150 minutos ou mais, são classificadas como fisicamente activas.

O que podemos perceber quando, classificamos um indivíduo quanto ao tempo que se dedica a um exercício, é que uma pequena parcela, cerca de 5% da população, o faz por opção. A maioria faz por necessidade.
Como meio de divulgar a importância do exercício físico o grupo elaborou um cartaz, colocando-o em vários sítios do recinto escolar.



No cartaz foram também indentificados 10 Benefícios da Actividade Física, sendo estes os seguintes:

-Reduz o risco de enfarte do miocárdio;
-Aumenta a eficiência e resistência do coração;
-Aumenta a resistência muscular;
-Reduz a fatiga;
-Diminui a gordura corporal e ajuda na perda de peso;
-Torna-a/o numa pessoa saudável;
-Ajuda-a/o a sentir bem consigo próprio;
-Melhora a circulação sanguínea;
-Melhora a saúde mental;
- E, claro, ajuda a prevenir a Obesidade!






Bibliografia:

A Medicina e a Nutrição dispõem de "armas" eficazes para ajudar as pessoas com excesso de peso. Não oferecem ainda uma fórmula mágica contra a Obesidade, mas conseguem combatê-la de uma forma equilibrada, partindo da análise de factores como o estilo de vida da pessoa, o tipo de alimentação, o seu estado de saúde e de ânimo...


A Rubrica desta semana visa a desvendar mitos relacionados com a alimentação, que na verdade acabam por alterar a realidade dos alimentos e, pior, diminuem a sua capacidade de fazer dieta.


1- A banana engorda imenso.

Falso! É uma fruta proibida em muitas dietass por se considerar "pesada", devido à sua grande quantidade de hidratos de carbono (aproximadamente 23g). Mas não tem por que engordar, se a ingerir em quantidades adequadas.

Na realidade, de acordo com a Tabela da Composição de Alimentos do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, a banana é rica em potássio e fornece muita água (72g), pelo que ajuda a eliminar líquidos, e "só" tem 95 calorias por 100g (o peso aproximado de uma banana média).

Para além disso, tem um elevado poder saciante, proporcionado pela fibra (3g). Aproveite-o para "matar a fome" ao lanche ou a meio da manhã. Deverá, contudo, evitar a sua digestão depois de uma refeição rica em gorduras.


2- Não comer gorduras emagrece.


Falso! Não deve eliminar nenhum alimento da sua dieta. O corpo necessita de uma porção diária de gorduras (25-30% do valor calórico total diário), indispensável para assimilar as vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K). Para além disso, quando as gorduras são insuficientes, o cérebro segrega uma hormona (galanina) que aumenta a vontade de comer. Motivos mais do que suficientes para não se concentrar naquilo que come, mas sim na quantidade que come. Ou seja, pode e deve comer gorduras, mas sem excessos (não se esqueça que 1g de gordura tem cerca de 9 kcal).

Por outro lado, está desmonstrado que a dieta mediterrânica, que inclui azeite e ácidos gordos ómega - 3 e 6, está associada a um menor risco de Obesidade. Mais uma "prova" que se pode comer (determinadas) gorduras, desde que o faça com moderação.

É importante, contudo, ressalvar que há gorduras que não são bem-vindas à nossa mesa: os médicos recomendam reduzir ao máximo de uma dieta adelgaçante - e de qualquer regime alimentar, por motivos de saúde - gorduras animais (saturadas), pois fazem subir o mau Colesterol e, por conseguinte, o risco de padecer de doença cardiovascular. Falamos, por exemplo, de toucinho, mateiga... enfim, basicamente todas as gorduras de origem animal, salvo os ómegas - 3 e 6 dos peixes gordos, que deve ingerir uma a duas vezes por semana.








Adaptado de revista Prevenir,

de Junho de 2008.